Formação de professores em João Pessoa

Nos dias 15 e 16 de abril, nós realizamos uma formação de professores no município de João Pessoa. Em cada um dos dias, trabalhamos com as quatro áreas do conhecimento (Linguagens, Matemática, Ciências Humanas e Ciências da Natureza) em torno das quais se organizam os livros da Coleção Viver, Aprender para o Ensino Médio. Nosso objetivo foi apontar caminhos para que os professores possam utilizar os livros de maneira adequada. Assim, organizamos nossa formação com base em 5 fundamentos: 1) Assegurar a equidade educativa; 2) Considerar o mundo do trabalho como temática central; 3) Garantir a qualidade da aprendizagem dos adultos; 4) Abordar temas significativos para o universo juvenil e adulto; 5) Considerar o direito humano à educação ao longo da vida. Veja como foi a formação no vídeo...

Ação Educativa e Fundação Vale pela Educação de Jovens e Adultos

A Ação Educativa e a Fundação Vale desenvolveram uma política de formação de professores tendo em vista as especificidades de pessoas jovens e adultas que compõem a EJA nos municípios mineiros de Itabira e São Gonçalo do Rio Abaixo, ou seja, assumiram o compromisso de construir uma política educacional que respeitasse a trajetória individual e particular de cada sujeito ao considerar suas experiências de vida e no mundo do trabalho. Como resultado desse projeto, foram desenvolvimento diversos materiais. Entre eles estão:   Jovens e adultos na sala de aula: sujeitos e aprendizagens na EJA  Este material é composto por diversos textos que buscam auxiliar  e servir de apoio para o professor na busca por novas estratégias de ensino que ajudem no desenvolvimento de estratégias que fortaleçam a Educação de Jovens e Adultos. Uma nova EJA: reorganização curricular dos municípios mineiros de Itabira e São Gonçalo do Rio Abaixo Este outro material foi criado com o objetivo de fornecer uma memória do projeto, sendo composto por dados socioeconômicos e de aprendizagem; fotos das paisagens que compõem o território onde atuamos, de alunos/as, de professores/as, de formadores/as etc. Além disso, há também relatos de alunos/as e de funcionários das rede de ensino.      ...

Publicação discute os desafios das políticas públicas de EJA no século XXI

Em dezembro de 2014 a Ação Educativa e a Editora Global lançaram o livro EJA em xeque: desafios das políticas de educação de jovens e adultos no século XXI. A publicação teve como ponto de partida o estudo realizado pela Ação Educativa entre 2011 e 2013 denominado Educação de Jovens e Adultos: insumos, processos, resultados que teve o Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP) como financiador. Os realizadores da pesquisa e autores do livro são: Vera Masagão Ribeiro, Sérgio Haddad, Maria Clara di Pierro, Denise Carreira, Maria Virginia de Freitas, Eliane Ribeiro, Roberto Catelli Jr.,  e Luis Felipe Serrao. A obra analisa políticas públicas para a modalidade, em especial o programa Projovem, o exame de certificação Encceja, o processo de implementação do Fundeb, especialmente em São Paulo, e também  analisa as estratégias de enfrentamento das desigualdades e das discriminações na EJA, particularmente as relacionadas a raça e gênero, propondo o conceito de política de ação afirmativa como referência para a EJA superar seus desafios na garantia do direito humano à educação. Há também um capítulo dedicado às pesquisas avaliativas em EJA realizadas nos Estados Unidos e no Reino Unido que podem trazer referência relevantes para o caso brasileiro. O livro toma como desafio avaliar estas políticas em um contexto em que se buscou fazer a avançar a EJA avançar mas permanecem ainda muitos desafios, sendo o primeiro deles a possibilidade de incluir mais brasileiros na modalidade, uma vez que, apesar da alta demanda de jovens e adultos que não concluíram a educação básica temos a cada ano um número menor de matrículas na modalidade. Leia o texto introdutório do livro aqui. Leia também...

V Seminário Nacional sobre Formação de Educadores de Jovens e Adultos

Entre 13 a 15 de maio de 2015 será realizado o V Seminário Nacional sobre Formação de Educadores de Jovens e Adultos, que tem como principal objetivo discutir as especificidades envolvidas na formação de jovens, adultos e idosos. O evento ocorrerá na Universidade Estadual de Campinas – UNICAMP. Aqueles(as) que desejam participar deverão submeter os trabalhos no sistema entre  02 e 23 de fevereiro. Para consultar a programação ou ter acesso a outras informações referente ao seminário, você pode acessar o link abaixo: Link para o...

Educação de Jovens e Adultos: alegrias, dúvidas e desafios de quem atua nessa modalidade de ensino

Como sugestão de leitura, indicamos o blog Educação de Jovens e Adultos. Nele, Felipe Bandoni de Oliveira – professor de Ciências na EJA do Colégio Santa Cruz, em São Paulo –  compartilha algumas dicas, experiências e questionamentos interessantes para os(as) professores(as) que atuam na EJA. O link para o blog está disponível para ser acessado na seção Favoritos do Portal. De qualquer modo, segue o link para a última postagem do blog:...

A alfabetização de adultos no Brasil em marcha-lenta

Em outubro de 2013 foi divulgado o resultado da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD). Ela indicou um aumento de 0,1% em relação à taxa de analfabetismo no país. Isto não quer dizer necessariamente que o número de analfabetos esteja crescendo, pois se trata de um levantamento amostral e uma alteração tão pequena não pode ser interpretada como um aumento. Pode-se falar em uma tendência de estabilização. Em uma próxima medição será possível afirmar com mais clareza qual é a tendência. De todo modo, a luz amarela foi acesa. Muitas matérias na imprensa destacaram o fato. Coloca-se mais uma vez em debate os motivos para avançarmos tão lentamente na redução do analfabetismo no Brasil. Existe desde 2003 no país o Programa Brasil Alfabetizado, que já atendeu ais de 13 milhões de brasileiros em 10 anos. No entanto, o recuo do analfabetismo não expressa esse número de atendidos. Eram 16 milhões em 2000, agora são cerca de 13 milhões. Certamente é hora de avaliar e rever uma política para o país que concentra o maior número absoluto de analfabetos na América...

Por que muitos professores não recebem os livros didáticos escolhidos no PNLD?

Ao realizar trabalhos de formação de professores nos deparamos frequentemente com a mesma reclamação de professores: “os livros escolhidos não chegaram”, “veio um outro” ou ainda “ficamos sem livros”. Além disso, não é incomum observarmos pilhas de livros guardados em uma sala da escola, depósito ou mesmo nos corredores, pois estes não seriam aqueles desejados pelos professores. Quando se faz referência ao livro dos professores, o cenário é muito mais grave, pois quase nunca os professores têm acesso ao mesmo. Isso fez com que a Ação Educativa e Ed. Global disponibilizassem gratuitamente neste portal o livro do professor da Col. viver Aprender, pois esta parece a única forma de dar visibilidade ao material de apoio ao professor. Evidentemente, cabe perguntar: o que ocorre? Por que tantos professores e escolas afirmam não ter recebido o livro escolhido? Há erro na distribuição dos livros? Na gestão da escola? No processo de escolha? Estamos em busca de respostas. Conte o que acontece na sua escola, vamos começar a levantar os motivos e buscar...
Carregando...