Conheça o CEAAL!

Em 1982 foi criado o Conselho de Educação de Adultos da América Latina, que depois se transformou em Conselho de Educação Popular da América Latina e Caribe. O CEAAL foi concebido como uma rede de organizações não-governamentais que tinham como elo comum a defesa da educação popular. Seu primeiro presidente foi Paulo Freire, sendo atualmente presidido pelo costarriquenho Oscar Jara. No presente, podem se associar também indivíduos interessados na educação popular sem necessariamente estar vinculado a uma instituição. O CEAAL realiza reflexões, produz sistematizações, ensaios, livros e encontros com a finalidade de construir um pensamento crítico acerca das questões relacionadas à América Latina, tendo a educação popular como metodologia e estratégia de atuação. Sua missão é “Fortalecer as capacidades e a formação integral dos educadores e educadoras populares”. Para o CEAAL, a educação popular deve ser um caminho para a construção de um novo conhecimento, que tenha um sentido libertador, embasado em uma pedagogia crítica, democrática, uma pedagogia do diálogo que tem como ponto de partida a experiência e vivência dos atores sociais. O CEAAL publica também a revista La Piragua reunindo artigos, experiências e reflexões sobre a América Latina. Existe também um site da instituição que publica periodicamente uma carta com notícias relacionadas aos seus afiliados em diferentes países. Aproximar-se do CEAAL é uma forma de ampliar nossa compreensão sobre os possíveis caminhos de atuação junto a jovens e adultos no campo da educação levando em conta sua articulação com as questões sociais e políticas que...

A EJA na Base Nacional Curricular Comum (BNCC)

Em 2015, o Ministério da Educação lançou a primeira versão da Base Nacional Curricular Comum (BNCC), que dever ser o principal documento orientador para a definição de currículos nas redes federais, estaduais e municipais de todo o país. Chamou atenção, entretanto, no lançamento de sua primeira versão preliminar a ausência de qualquer formulação referente à educação de jovens e adultos, que é uma modalidade da educação básica. O texto limita-se a informar que determinados eixos e conteúdos se aplicam a crianças, jovens e adultos. Não há qualquer reflexão sobre a especificidade da modalidade tendo em vista os seus sujeitos. Essa ausência tornou-se tema de debate em encontros com educadores da educação de jovens e adultos em diferentes contextos. Ficou evidente que a BNCC, tal qual estava sendo proposta, era inadequada ao público da EJA. Ainda que se pudesse pensar que os conteúdos destinados a todos brasileiros que se certificam nos diferentes níveis da educação básica deveriam ser os mesmos, há outros elementos que devem ser considerados. Primeiramente, não há nenhum texto que problematize a especificidade da modalidade tendo em conta a diversidade de sujeitos que se matriculam nas escolas de EJA de todo o país. Seria necessário que se realizasse alguma reflexão com base nas experiências e conhecimentos já produzidos, sobre qual currículo seria adequado para pessoas que deixaram a escola e retornam à escola em uma fase adulta, tendo já acumulado significativas experiências e aprendizagens no âmbito pessoal e profissional. Sabemos que não faz sentido reproduzir um mesmo rol de conteúdos desenvolvidos ao longo de anos para crianças e adolescentes, uma vez que estas etapas já não se fazem da...

Matrículas da EJA continuam em queda no Brasil

O Censo Escolar de 2015 mostra que as matrículas da EJA continuam em queda no país. Em 2014 eram 2.985.304 matrículas e em 2015 foram 2.792.758, o que significa uma queda de 6,4% em apenas um ano. O Estado de São Paulo, como vêm ocorrendo nos últimos anos, foi responsável pela maior queda, reduzindo de 331.882 para 295.700 matrículas de 2014 para 2015, representando uma queda de 10,9%. A maior redução se registrou no ensino fundamental, com queda de 9%. Já no ensino médio houve crescimento de 7,5%. As redes municipais apresentaram crescimento de 1% enquanto as redes estaduais reduziram a matrícula em 7%. As razões para a queda podem ser parcialmente explicadas pelo pouco interesse das secretarias estaduais de educação pela modalidade EJA. Deve-se considerar também a a pouca adequação das metodologias, currículos e mesmo forma de organização das escolas para atender as demandas específicas do público jovem e adulto. Desde pelo menos 2007 estamos assistindo a esse processo de queda de matrículas vem reduzindo a cada ano a modalidade apesar da existência de mais de 80 milhões de brasileiros que não conseguiram concluir a educação básica na idade...

Brasil realiza avaliação e revisão das metas da Confintea

Entre 25 e 27 de abril de 2016 acontecerá no Brasil uma edição local da Conferência Internacional da Educação de Adultos (Confintea) que terá como finalidade realizar um balanço das metas definidas na Confintea VI ocorrida em Belém, em 2009. A reunião contará com convidados europeus e latino-americanos que ajudarão a refletir sobre a educação de jovens e adultos e seus caminhos nos dias atuais. Estarão presentes também instituições relacionadas à educação de jovens e adultos, representantes das secretarias estaduais e municipais, Fóruns de EJA, sindicatos, ONGs, professores e estudantes da EJA. O evento pretende ser também parte de um processo de fortalecimento da EJA no país, sendo criadas as bases para uma nova política nacional para a modalidade. A Confintea é uma Conferência internacional organizada pela Unesco desde 1948. A seguir, acesse os compromissos aprovados em 2009 que constam do Marco de Ação de Belém....

Moção contra a reorganização das escolas estaduais em São Paulo

No dia 23 de setembro de 2015, a Secretaria da Educação do Estado de São Paulo (SEE-SP) divulgou, via imprensa, que irá fazer uma grande reestruturação das escolas de educação básica da rede. No entanto, não foi apresentado à população nenhum projeto que se propusesse a informar os detalhes do projeto, do mesmo modo como não foi realizada nenhuma consulta pública sobre a nova proposta. Diante desse cenário, eclodiram manifestações em diversas localidades, onde a comunidade escolar (alunos, professores, coordenadores, familiares) se reuniu para se manifestar contra a reestruturação imposta pelo governador Geraldo Alckmin. O último deles ocorreu no dia 15 de outubro, com concentração no Largo da Batata às 8h. Apesar de não ter havido prisão de nenhum manifestante, houve confronto com a polícia – o que ocorrera também nas manifestações ocorridas durante a greve de professores no primeiro semestre de 2015, marcadas pela violência e repressão policial. Tendo em vista a arbitrariedade com que foi imposto o projeto de reestruturação e a falta de disponibilidade do governo para dialogar com a população, estudantes, professores e pesquisadores da Faculdade de Educação da UNICAMP mobilizam-se e criaram uma moção na internet contra a reorganização das escolas estaduais de São Paulo afim de que a Secretaria de Educação do Estado de São Paulo exponha o projeto que orienta a reestruturação das escolas estaduais, com os dados que fundamentam a argumentação apresentada pelo governo. Para ler o texto e assinar a petição, acesse o link: http://www.peticaopublica.com.br/pview.aspx?pi=BR85937   ...

Pré-matrícula para escola estaduais do RJ já pode ser feita pela Internet

Desde o dia 27 de outubro, estão abertas as inscrições para pré-matrícula em escolas estaduais do Rio de Janeiro. Para se inscrever, basta acessar o site Matrícula Fácil. No site, é possível encontrar informações sobre o processo de inscrição, as escolas e o número de vagas ofertadas. O resultado da inscrição será divulgado no site no dia 23 de dezembro. Além disso, a Secretaria de Estado de Educação também enviará SMS para os candidatos que cadastraram  o número do celular. Entre os dias 06 a 12 de janeiro de 2016, os candidatos deverão comparecer à escola onde se inscreveram para confirmar a pré-matrícula, tendo em mão os seguinte DOCUMENTOS: I – Carteira de Identidade ou documento que a substitua (Certidão de Nascimento ou Casamento) – Original (será devolvida no ato) e CPF, se possuir; II – Histórico Escolar ou Declaração da última Unidade Escolar em que estudou, constando a série para a qual o aluno está habilitado, ficando o original na escola; III – Carteira de Identidade e CPF do responsável legal, no caso de menor de 18 anos, original e cópia; IV – Laudo comprobatório de deficiências declaradas (se for o caso); V – Comprovante de residência. VI – Comprovante do Atestado com tipo do grupo sanguíneo e o Fator Rhesus ( fator RH), conforme disposto na Lei nº 6.683 de 15 de janeiro de 2014. Os candidatos interessados poderão ingressar nas seguintes SÉRIES e MODALIDADES: • 6º, 7º, 8º e 9º Anos do Ensino Fundamental Regular; • Fases VI, VII, VIII e IX do Ensino Fundamental da Educação de Jovens e Adultos; • 1ª, 2ª e 3ª séries do Ensino...

Comissão de Educação aprova aumento do piso salarial dos professores

O projeto (PLS 144/2015) de Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM), aprovado em reunião da Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE) na última terça feira (20), prevê aumento do piso salarial nacional dos professores da rede pública. O piso pode passar de R$ 1.917,18 para R$ 2.743,65, ou seja, haveria um aumento de R$ 826, 47. O relatório da senadora Ângela Portela (PR-RR), favorável ao projeto, determina que a implementação integral do novo piso deverá ser feita de modo progressivo, no decorrer de três anos. Para as senadoras é o governo federal que deverá, durante cinco anos, assumir a responsabilidade financeira pela complementação dos salários em vigor, de maneira que passem a atingir o valor referente ao estabelecido pelo novo piso salarial. Para a senadora Ângela Portela seria essa uma medida condizente para que a integralização do piso seja efetivada e que também leve em conta a crise enfrentada por muitos estados. Assim, passariam a ser destinados 5% da arrecadação das loterias administradas pela Caixa Econômica Federal para que a complementação dos salários dos professores da educação básica. Veja mais em: http://www12.senado.leg.br/noticias/videos/2015/10/comissao-de-educacao-aprova-aumento-do-piso-salarial-dos-professores    ...

INEP divulga relatório sobre perfil de docente que atuam no Ensino Médio

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP) divulgou, recente, um relatório em que constam informações sobre o perfil dos docentes que atuam no Ensino Médio regular no Brasil. O trabalho teve como objetivo avaliar, por disciplina, de modo se dá a formação inicial desses docentes, tendo em vista a capacidade das redes de ensino superior em atender a crescente demandas por professores qualificados. Como resulto, foram produzidos novos quatro indicadores: Complexidade da gestão da escola, Adequação da formação docente, Regularidade do vínculo do docente com a escola e Esforço docente para o exercício de suas funções. Para ter acesso ao documento, acesse à Biblioteca (Publicações diversas) do Portal Viver, Aprender: http://www.viveraprender.org.br/biblioteca/...

Formação de professores e gestores da EJA do município de Piraí (RJ)

Nos dias 9 e 10 de setembro de 2015, reencontramos os professores e gestores  da EJA do município de Piraí (RJ).  Neste encontro aprofundamos as reflexões acerca da utilização do material didático “Viver, aprender” nos anos iniciais da EJA iniciadas em nosso primeiro encontro realizado em junho deste ano. As atividades formativas nos dois encontros foram conduzidas pelas formadoras Jordana Thadei (Língua Portuguesa) e Sandra Regina Correa Amorim (Matemática). Agradecemos o acolhimento da Secretaria Municipal de Educação de Piraí representada pela coordenadora da EJA Paula Cristina de Souza Silva. Veja as fotos da...

Formação de professores e gestores da EJA da rede estadual do Maranhão

Nos dias 22 e 23 de setembro de 2015 nos reunimos com professores e gestores atuantes no ensino médio da EJA na rede estadual de educação do Maranhão. O encontro realizou-se no Centro Educacional Manoel Beckman no Bairro Bequimão em São Luís. Durante o encontro, refletimos e construímos coletivamente novas possibilidades de abordagem e utilização do material didático “Viver, Aprender” no cotidiano escolar. Agradecemos o acolhimento da comunidade escolar do Maranhão e aguardamos o envio de registros das ações desencadeadas a partir desse processo formativo nas escolas maranhenses. Veja as fotos da formação:...
Carregando...